Notícias

  • Veneri questiona secretário da Fazenda sobre compra de vacinas contra coronavírus

    Na audiência pública de prestação de contas do 3° quadrimestre do Poder Executivo realizada nesta terça-feira,  (23), na sessão plenária da Assembleia Legislativa (Alep), os deputados petistas questionaram o secretário de Estado da Fazenda, Renê Garcia Junior, sobre os calotes do governo Ratinho Junior (PSD) no funcionalismo público e se os recursos destinados à produção de vacinas foram requeridos pelo Instituto de Tecnologia do Paraná, já que a parceria com a Rússia para a fabricação da Sputnik V não saiu do papel.

    Líder da bancada, o deputado Tadeu Veneri destacou que em agosto do ano passado a Assembleia Legislativa destinou R$ 100 milhões para auxiliar o Executivo na superação da pandemia. No mesmo período o governador Ratinho Junior (PSD) anunciou que o Paraná, através do Tecpar, havia firmado acordo com a Rússia para a produção da Vacina Sputnik V no estado. Posteriormente o governo desistiu da parceria sem explicar as razões e uma empresa privada, o Laboratório União Química, irá produzir a vacina em outro Estado.

    “Nós aqui fizemos um aporte, ou pelo menos uma reserva de R$ 100 milhões somados aos R$ 100 milhões disponibilizados pelo governo estadual para a compra de vacinas. Há inúmeras discussões inclusive sobre a possibilidade de os estados comprarem a vacina diretamente dos laboratórios em função da política do governo federal. Mas em agosto do ano passado houve uma manifestação do governador no sentido de que nós poderíamos ter a produção de vacinas aqui no Paraná, a partir de uma parceria com a Rússia. O que nós precisamos saber é se houve alguma solicitação de aporte de recursos pelo Tecpar para a construção da unidade para a produção dessa vacina. Considerando que o acordo não saiu do papel e que até agora o governador não deu explicações acerca desse ocorrido, é preciso que isso fique claro para a sociedade paranaense” argumentou Veneri.

    “Nós sabemos que a construção de uma fábrica de vacinas é cara e demanda tempo e recursos. Essa situação do Tecpar já vem sendo debatida e nós sabemos que a instituição é uma das grandes produtoras de vacinas do país. No caso do Paraná, de acordo com o governo estadual, nós teríamos três unidades produzindo a vacina, mas que para essa produção pudesse ocorrer, haveria a necessidade investimentos em sua planta para viabilizar a produção e isso não ocorreu”, completou.

    Matéria da assessoria de imprensa da liderança da bancada do PT