Notícias

  • Sanepar contrata empresa para investigar pagamento de propinas

    Sanepar contrata empresa para investigar pagamento de propinas
    Ficamos sabendo por meio da ata da assembleia do conselho de administração, realizada em 22 de dezembro, que a Sanepar está contratando uma empresa para investigar o pagamento de propinas na operação Águas Claras. A empresa Tauil Chequer Ernst & Young, que, anteriormente, foi contratada pela Copel para investigar o sumiço de R$ 150 milhões de uma das subsidiárias, a Usina de Gás de Araucária (Uega), onde denunciamos a suspeita de desvio em 2017 no plenário da Assembleia Legislativa. Até hoje, não sabemos o que houve com esses recursos.
    A operação Águas Claras foi deflagrada na Sanepar em 2017 pela Polícia Federal que investigava indícios de que obras de esgoto sanitário teriam sido fraudadas para favorecer uma empresa mediante o pagamento de propina no valor de aproximadamente R$ 700 mil a um funcionário aposentado da empresa, que teria sido beneficiado entre 2011 e 2015.
    Quanto à Uega, nosso mandato fez pedido de informações questionando a direção da Copel sobre problemas na contabilidade da subsidiária.
    De acordo com informações extraoficiais, a empresa teria recursos aplicados que foram contabilizados como ativos circulantes, que podem ser sacados a qualquer tempo, mas que, na prática, não teriam essa liquidez. Essa falta de liquidez não estaria permitindo à Uega adquirir o gás da Compagás para operar na produção de energia elétrica. Esta e tantas outras perguntas nunca foram respondidas com transparência. E agora, a mesma empresa que fez a auditoria deste desfalque é chamada para outra apuração. Será que teremos uma resposta desta vez?