Notícias

  • Governo corta verbas ambientais, enquanto fogo consome animais e plantas

    Governo corta verbas ambientais, enquanto fogo consome animais e plantas


    Em discurso na sessão remota desta segunda-feira (14), o  deputado Tadeu Veneri criticou a postura do governo Bolsonaro com a questão ambiental, em especial, com as queimadas que devastam a região do Pantanal, no Centro-Oeste do País. “É uma tragédia anunciada. Enquanto o Pantanal queima, o governo federal e o presidente Bolsonaro fazem piadas. Infelizmente este é o presidente da República. O presidente das queimadas, o presidente das piadas estúpidas”, lamentou Veneri.

    Dados do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) apontam que 15% do Pantanal foi consumido, uma área equivalente a 2,2 milhões de hectares. Até meados de setembro, os satélites que vigiam a região para o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) detectaram 12.703 focos ativos de incêndio, que representam dezenas de frentes descontroladas de queimadas. São os maiores números da série histórica da instituição, iniciada em 1998.

    Reportagem da Folha de S. Paulo aponta que, apesar do aumento dos casos de desmatamento e incêndios florestais, o governo Bolsonaro reduzirá os orçamentos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para o próximo ano.

    No caso do Ibama, o corte nas verbas é de 4%, para R$ 1,65 bilhão. Do total, R$ 513 milhões ainda dependem de crédito extra a ser aprovado pelo Congresso, ou 31%. No ICMBio, a redução foi ainda maior: queda de 12,8%, para R$ 609,1 milhões —e R$ 260,2 milhões (43%) ainda sujeitos ao aval dos congressistas.

    “Curitiba está a 1.400 km do Pantanal e hoje pela madrugada já foram sentidos os efeitos da fumaça das queimadas aqui no estado do Paraná. Enquanto isso o governo federal e Jair Bolsonaro fazem ouvidos de mercador. É lamentável”, destacou o líder do PT.

    Dados do Inpe mostram que, em julho, foram desmatados pouco mais de 1,3 mil km² na Amazônia. De julho de 2019 a agosto deste ano, houve uma alta de 34% no desmatamento, na comparação com o mesmo período anterior.

    Em relação às queimadas, foi registrado no mês passado um total de 29.307 focos de incêndio na região da Amazônia Legal.

    PT na Alep com informações do PT no Senado