Notícias

  • Mudança proposta por Veneri impede aumento de tarifa de ônibus

    Mudança proposta por Veneri impede aumento de tarifa de ônibus

    As empresas de transporte coletivo da região metropolitana de Curitiba que receberem o subsídio do governo não poderão reajustar as tarifas cobradas dos usuários durante o período de emergência sanitária causada pelo novo coronavírus. Esta proibição foi acrescentada pelo deputado Tadeu Veneri (PT), em emenda aprovada ao projeto de lei 486, que prevê a compra pelo governo de R$32,7 milhões em em passagens para a população inscrita nos cadastros dos programas sociais.

    O projeto foi aprovado nesta quarta-feira, 26, em segunda discussão pelo plenário da Assembleia Legislativa. A emenda de Veneri ameniza os danos causados pela transferência de recursos públicos às empresas do sistema. “Como a proposta, claramente, privilegia os empresários do transporte, nós apresentamos esta proposta para garantir, pelo menos, que a população não pague mais caro pela tarifa durante o tempo da subvenção”, disse o deputado.

    O pagamento do subsídio está previsto para durar até setembro, retroagindo aos meses de abril, maio, junho, julho e agosto. O texto do governo estabelece que poderá haver uma prorrogação por novo período.
    Outra emenda de Veneri incorporada à proposta do governo determina à Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) que apresente planilhas e estudos destinados a dar transparência ao uso dos recursos públicos para garantir a operação dos serviços. A justificativa do governo para ajudar às empresas é que a queda no número de passageiros durante a pandemia está colocando em risco a oferta dos serviços de transporte coletivo.

    Depois de concluída a votação em redação final, o projeto seguirá para ser sancionado ou vetado pelo governador do Estado.