Notícias

  • Paraná apresentado pelo governador Ratinho Jr. não corresponde ao mundo real

    Paraná apresentado pelo governador Ratinho Jr. não corresponde ao mundo real

    O governador Ratinho Junior (PSD) apresentou um Paraná que não corresponde ao mundo real. Esta foi a avaliação do deputado Tadeu Veneri (PT), líder da oposição na Assembleia Legislativa, sobre o discurso de abertura do ano legislativo feito pelo governador, que citou “avanços” inexistentes em várias áreas, como educação e segurança pública.


    “Temos dois governos, um que foi exposto pelo governador Carlos Massa, um cenário bonito, colorido, e o mundo real, que está tendo uma série de problemas com desemprego, com violência. Há dois Paranás, o Paraná do discurso do governador, da propaganda, e o Paraná do mundo real”, afirmou.

    O parlamentar reconheceu que é papel do governador anunciar, na abertura do ano legislativo, os avanços do Estado, mas questionou as motivações do chefe do Poder Executivo não ter se manifestado sobre os retrocessos da sua gestão.

    “Em nenhum momento o governador citou as providências com relação à privatização da Copel. É papel do governador dizer como fará para defender o patrimônio do Paraná. Da mesma forma que é papel do chefe do Poder Executivo se manifestar sobre o fechamento da Fafen, que está em greve há duas semanas, e em relação ao fechamento de uma refinaria que é a maior empresa do Paraná, que é a Repar”.
    A venda da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e da fábrica de fertilizantes (Fafen), em Araucária, vai trazer prejuízos econômicos ao Estado e deixará mais de mil trabalhadores desempregados

    Na educação, Veneri cobrou posicionamentos de Ratinho Jr. em relação ao fechamento do cursos noturnos, da unificação de turmas e do corte de funcionários PSS no Estado. “Onde está esse Paraná que tem tantas realizações em educação, quando turmas são fechadas nas escolas estaduais e os estudantes perdem a possibilidade de frequentar aulas noturnas? Ou ainda que já não são mais atendidos pelo Ensino de Jovens e Adultos?”.

    Já na segurança, há um déficit de contratação de profissionais que torna inverossímeis as chamadas melhorias citadas pelo governador, disse Veneri.

    O parlamentar também criticou o decreto do governador que enfraquece os sindicatos e associações. “O governador editou um decreto que simplesmente busca desconstruir os sindicatos e associações. O decreto exige que a pessoa que queira continuar sindicalizada deve vir até Curitiba, apresentar um requerimento na Secretaria que esteja vinculada, depois levar este protocolo até o sindicado ou associação. Isso significa que o governo quer fazer com que as pessoas não permaneçam sindicalizadas”.