Notícias

  • População pressiona pela revogação de decreto que reduz vagas nas creches conveniadas

    População pressiona pela revogação de decreto que reduz vagas nas creches conveniadas
    População compareceu em peso à audiência Foto: Isabella Lanave

    Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa, o deputado Tadeu Veneri participou da audiência pública para debater a necessidade de suspensão do edital que muda o modelo de contratação de creches conveniadas com o município de Curitiba para o próximo ano. Sob o pretexto de aumentar o número de vagas para crianças de zero a três anos, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), está desalojando as crianças de quatro e cinco anos, mandando-as para a rede municipal de ensino, onde não terão atendimento integral.

    Na audiência pública, realizada nesta segunda-feira, 28, pela Câmara Municipal de Curitiba, as entidades que atuam na área e as famílias decidiram continuar pressionando pela revogação do decreto. “Todos os setores e entidades envolvidas com o tema estavam na audiência. Menos a prefeitura de Curitiba que não mandou representantes. Mas nós vamos insistir nesse diálogo. O futuro das nossas crianças tem que ser assegurado. É dever do poder público oferecer a elas uma infância protegida para que se desenvolvam como cidadãos plenos”, afirmou Veneri.

    O edital da prefeitura prevê a abertura de 10,7 mil vagas. Do total, 7,7 mil estão destinadas crianças em idade de berçário (zero a três anos) e 3,2 mil para crianças de 4 a 5 anos. Mas a demanda para a pré-escola é muito maior. A Associação dos Centros Comunitários de Educação Infantil e Serviços Socioeducativos (Acceis) também reclamam do valor proposto pela prefeitura, que não cobriria as despesas, levando às entidades privadas a desistirem da parceria com o poder público.