Notícias

  • CCJ aprova projeto que proíbe pulverização de agrotóxicos por meio de aviões

    CCJ aprova projeto que proíbe pulverização de agrotóxicos por meio de aviões

    A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou nesta terça-feira, 14, o projeto que proíbe a pulverização aérea de agrotóxicos nas lavouras do Paraná. A proposta foi apresentada pelo deputado estadual Tadeu Veneri (PT) e tem o apoio de inúmeras entidades da sociedade civil, que entregaram aos deputados integrantes da CCJ um documento pedindo voto favorável à medida.

    A próxima etapa da tramitação do projeto será a análises nas Comissões de Agricultura e Meio Ambiente antes de ser votado em plenário por todos os deputados. Na Comissão de Constituição e Justiça, votaram favoravelmente ao projeto sete deputados. Quatro se posicionaram contra.

    O Ministério Público do Trabalho anunciou que planeja realizar audiências públicas em várias cidades do Estado para debater o projeto. Para Veneri, a aprovação na CCJ é apenas o primeiro passo, mas é fundamental para avançar na luta contra o uso abusivo de agrotóxicos no Paraná e em todo o país.

    Medidas para limitar ou eliminar o uso de agrotóxicos no país são urgentes para impedir o crescimento dos casos de intoxicação no país, defendeu Veneri. Ele citou os levantamentos que atestam a ocorrência de 34.147 casos de intoxicação entre 2007 e 2014 em todo o território nacional. No Paraná, são notificados, em média.753 casos por ano.

    O lançamento de agrotóxicos por aviões nas plantações já está interditado em vários países europeus desde 2009. “Nosso mandato é um porta voz desta proposta porque o pequeno produtor rural sofre com esta prática e a população tem sua saúde afetada. Eu estive em cidades no interior do Paraná, onde os produtores de orgânicos foram prejudicados pela pulverização feita próxima a sua área e por conta da deriva acabaram perdendo sua produção”, disse Veneri. Deriva é o alcance do agrotóxico, que pode chegar a até 32 Km de distância do alvo original. Os produtos se disseminam ao redor pelas correntes de ar.

    Votaram favoravelmente à proposta os seguintes deputados: Marcio Pacheco (PDT), Delegado Jacovós (PR), Luiz Carlos Martins (PP), Nelson Justus (DEM), Evandro Araújo (PSC) e Hussein Bakri (PSD).