Notícias

  • Veneri questiona eficácia da reforma administrativa do governo estadual

    Veneri  questiona eficácia da reforma administrativa do governo estadual

    (Curitiba, 26/2/19) – A bancada de oposição na Assembleia Legislativa apresentou nesta terça-feira (26) um requerimento de pedido de informações ao chefe da Casa Civil, Guto Silva, questionando qual a atual estrutura de cargos em comissão e funções da gestão pública previstos na legislação e disponíveis para os órgãos da administração pública direta e indireta e quais destes cargos estão atualmente ocupados.

    “O governo está afirmando que, com a reforma administrativa, haverá corte de cargos e consequentemente economia. Mas para descobrir exatamente o impacto destas mudanças precisamos saber quantos cargos existem atualmente disponíveis nos órgãos da administração pública direta e indireta e quantos destes cargos estão ocupados. Afinal de contas, os cargos que serão extintos estão preenchidos, ou são cargos que apenas constam nominalmente, com dotação, mas sem lotação?”, explicou o deputado Tadeu Veneri (PT), líder da oposição.

    Entre as medidas previstas na reforma administrativa proposta pelo governo Ratinho Junior está a extinção de uma série de secretarias, entre elas a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti).

    “O projeto chegou de forma açodada e muito confusa, tanto que é que foi retirado para ser apresentado um substitutivo geral. Entre as muitas contradições da reforma administrativa está a extinção da Seti. É preciso lembrar que quem faz pesquisa no Brasil não são as universidades privadas, mas as universidades públicas, federais e estaduais. O que será feito, caso a Seti seja de fato extinta, com os recursos das universidades do Paraná? Para onde vai estes recursos, quem vai administrar?”, questionou o deputado.

    Além de Veneri, assinaram o requerimento os deputados Arilson Chiorato, Luciana Rafagnin e Professor Lemos, do PT, e Anibelli Neto e Requião Filho, do MDB. O requerimento será votado em plenário na próxima sessão.

    Liderança da Oposição

    Renato Sordi