Notícias

  • Veneri sugere exoneração de diretoria da Sanepar para impedir aumento de tarifa

    Veneri sugere exoneração de diretoria da Sanepar  para impedir aumento de tarifa

    Antecipar o reajuste da tarifa de água, que vinha sendo cobrado em parcelas, equivale a “enfiar a faca” no consumidor paranaense. A crítica foi feita pelo deputado Tadeu Veneri (PT) na sessão desta quarta-feira, 6, na Assembleia Legislativa, ao comentar as declarações do presidente da Sanepar, Claudio Stabile, sobre a possibilidade de aplicar em até três anos o reajuste de 25,63% que estava previsto para ser parcelado até 2025.

    Este reajuste foi autorizado pela Agência Reguladora do Paraná em 2017 a título de recomposição da tarifa, que estaria defasada durante os governos anteriores. Além deste aumento, a tarifa da Sanepar ainda é corrigida uma segunda vez para a reposição da inflação, anualmente, em abril. Para Veneri, o governador do Estado deveria intervir na direção da empresa antes que a antecipação seja executada. “O governador deveria exonerar essa diretoria antes que cometam essa loucura”, disse.

    Na origem dos sucessivos reajustes das tarifas da Sanepar que já somam 123 % em seis anos, está o aumento da remuneração dos acionistas de 25% para 50% aprovado pelo ex-governador Beto Richa. Ele voltou a defender a redução dos dividendos dos acionistas. “ A Sanepar não pode existir para dar lucros a acionistas e investidores. A empresa existe para levar água e saúde pública aos paranaenses”, disse Veneri.

    O próximo reajuste anual deve ficar em torno de 15% para uma inflação no período de menos de 4%, assinalou o deputado. Em março, a empresa deve divulgar o lucro de 2018, que gira em torno de R$ 900 milhões.