Notícias

  • Veneri questiona se Sanepar está assumindo prejuízos da usina de biogás que não funciona

    Veneri questiona se Sanepar está assumindo prejuízos da usina de biogás que não funciona

    Durante a votação do projeto 110/2018, que trata da política estadual do biogás e biometano, o deputado Tadeu Veneri levantou a possibilidade de a proposta ter alguns pontos direcionados para consertar os erros cometidos na criação da empresa CS Bioenergia S/A. Fundada em 2014, a empresa é uma sociedade entre a Sanepar e a Catallini Bioenergia para transformar o lodo da estação de tratamento Belém, em Curitiba, em energia. Quase quatro anos depois, a unidade de biodigestão instalada ao lado da estação Belém ainda não produziu e já consumiu mais de R$ 70 milhões recursos da Sanepar.

    Os equipamentos com tecnologia austríaca não são compatíveis para processar o lodo produzido pela Sanepar. A usina cogitou a possibilidade de se servir de material orgânico da Ceasa. Mas o acordo com a Ceasa foi questionado pelo Ministério Público Estadual, cujo entendimento é que o material pertence a catadores de recicláveis.

    “O projeto é importante, mas desde que não seja um guarda-chuva para uma empreitada mal-sucedida. Não podemos estabelecer uma política estadual para ser remendo de empreendimentos que deram errado”, afirmou Veneri. Ele apresentou uma emenda estabelecendo que os programas e financiamentos instituídos pelo Poder Executivo somente poderão beneficiar os empreendimentos desenvolvidos após a publicação da lei.

    Desde o início, essa parceria foi questionada por Veneri. Primeiro, a Sanepar entrou como minoritária na sociedade, com 40% das ações. A dispensa de licitação para a criação da nova empresa também está sendo questionada judicialmente. Recentemente, a Sanepar comprou parte das ações da Catallini e passou a deter 51% de participação na empresa.

    “Quando a sinalização era e que o empreendimento iria ser um sucesso, a Sanepar concordou em ser minoritária. Agora, que surgiram todos estes problemas, estranhamente, a Sanepar passou a ser majoritária. Não sabemos o que motivou essa mudança. Seria bom que a empresa e o governo explicassem”, disse.