Notícias

  • O legado de Beto Richa: a destruição do serviço público

    O legado de Beto Richa: a destruição do serviço público

    A marca do governo de Carlos Alberto (PSDB) foi a destruição do serviço público. Esse foi o balanço que o deputado Tadeu Veneri fez dos quase oito anos de administração tucana no Paraná após o comunicado nesta segunda-feira da renúncia do governador no próximo no dia 7 para concorrer ao Senado nas eleições deste ano.

    “O governador disse que não tem nada do que se arrepender e que está deixando R$ 8 bilhões em caixa. O que o governador esquece é que os R$8 bilhões que diz estar deixando foram confiscados do fundo de previdência dos servidores públicos”, afirmou Veneri, em pronunciamento em plenário.

    Veneri lembrou que o legado de Beto Richa foi uma crise na área de segurança, o caos na saúde, o sucateamento da educação e o aumento das tarifas públicas de energia e água. A tarifa de água foi reajustada em 132,4% contra uma inflação de 57,83% desde que Beto Richa assumiu o governo. “Ele também esqueceu de mencionar que, quando terminou o primeiro mandato, o Paraná ficou devendo mais de R$ 1 bilhão. Esqueceu também que seu ajuste fiscal consistiu em aumentar o ICMS de 95 mil itens de consumo básico, aumentar em 40% o IPVA “, disse Veneri.

    O governador que deixa o cargo também deixou os servidores públicos sem a reposição da inflação dos últimos três anos, quebrando acordo que fez com os deputados após o fatídico 29 de abril de 2015. “À revelia da lei, o governador deu calote nos servidores”, afirmou o deputado. Ele também destacou as investigações sobre o envolvimento do governador e auxiliares próximos no desvio de recursos da construção de escolas para campanhas eleitorais na Operação Quadro Negro e as acusações apuradas pela Operação Publicano, que trata de um esquema de corrupção na Receita Estadual.