Notícias

  • Auxílio-moradia é imoral, diz Veneri

    Auxílio-moradia é imoral, diz Veneri

    O deputado Tadeu Veneri (PT) defendeu nesta quarta-feira, 28, o fim do pagamento do auxílio-moradia para juízes, desembargadores, membros do Ministério Público, deputados federais e estaduais. Pago mediante leis aprovadas em alguns estados e com base em decisão provisória do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), o benefício é um privilégio injustificável, destacou Veneri.

    Veneri foi um dos oito votos contrários ao projeto que instituiu o benefício para o Judiciário no Paraná, em 2014. Veneri também apresentou voto em separado na Comissão de Constituição e Justiça apontando inconstitucionalidade no projeto de iniciativa do Tribunal de Justiça do Paraná, aprovado pela Assembleia Legislativa, há quatro anos.

    “É imoral um servidor público que já têm os mais altos salários da República receber esse auxílio, cujo valor é 95% acima do salário médio pago aos trabalhadores brasileiros, inclusive aos demais servidores públicos”, afirmou o deputado.

    Veneri criticou a ameaça de paralisação feita por setores do Judiciário diante da possibilidade de julgamento da legalidade do auxílio pelo STF. “Em que mundo vivem estas pessoas? É um benefício imoral, ainda que legal”, disse.