Notícias

  • Votação da denúncia contra Temer transforma o parlamento em espaço de negociatas

    Votação da denúncia contra Temer transforma o parlamento em espaço de negociatas

    Os mesmos deputados, que se enrolaram em bandeiras e votaram a favor do impeachment de uma presidente honesta, eleita pela maioria dos votos dos brasileiros, estão votando a favor da manutenção de um presidente ilegítimo, denunciado por corrupção, que comprou a peso de ouro o Congresso Nacional. Que espetáculo trágico! Estes são alguns dos trechos do pronunciamento do deputado estadual Tadeu Veneri (PT) sobre a votação da denúncia contra Michel Temer.

    Veneri citou os números publicados pelos principais veículos de comunicação, mostrando que, em sete meses, o governo liberou R$ 3,1 bilhões em emendas para 467 parlamentares. Em apenas dois meses, junho e julho, foram R$ 2,3 bilhões. “Muitos analistas e jornalistas políticos disseram que Temer teria uma base forte porque sabia operar com os deputados e conhecia o funcionamento do trâmite do Congresso Nacional. Agora, nós vemos o que isso significa”, disse.

    “Muitos daqueles que pregaram moralidade estão hoje denunciados ou investigados por corrupção. São os mesmos que disseram que se a presidente Dilma e o PT saíssem do governo, tudo seria resolvido. Onde estão os empregos prometidos? O país voltou a crescer? “, questionou Veneri.

    O governo Temer destruiu os direitos dos trabalhadores com a reforma trabalhista e congelou por vinte anos os investimentos em educação e saúde, além de ter lançado o país na sua maior crise econômica, destacou Veneri. “Onde estão aqueles que foram às ruas gritar contra a corrupção”, perguntou Veneri.

    O deputado leu trechos do editorial do jornal O Globo, um dos veículos que defenderam com mais afinco a remoção da presidente Dilma do cargo, mas que na edição desta quarta-feira, atacou a parcialidade da Justiça na análise das denúncias contra Temer. “ Não pode existir uma metodologia de interpretação de fatos entre procuradores e juízes que só valham para o PT. Evidências e indícios são provas válidas para que se abram processos. Isso tem acontecido com vários políticos, Lula um deles. Inconcebível é fazer de conta que nada houve de pelo menos estranho no relacionamento entre Temer, JBS, Joesley, Loures e outros”, diz o editorial.