Notícias

  • Veneri propõe desagravo a agricultores familiares inocentados em Operação AgroFantasma

    Veneri propõe desagravo a agricultores familiares inocentados em Operação AgroFantasma

    O deputado Tadeu Veneri usou a tribuna da Assembleia Legislativa para denunciar o desmonte dos programas de produção de alimentos da agricultura familiar, que passou a ser criminalizada a partir de operação da Polícia Federal.Em agosto de 2013, onze agricultores foram presos no Paraná acusados de fraude no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), gerenciado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No final do processo, todos foram inocentados e a Justiça concluiu que houve apenas falhas administrativas.

    Veneri propôs a realização de uma sessão de desagravo aos agricultores vítimas da operação que destruiu suas vidas e programa. A operação, batizada de Agro-fantasma, desencadeou a destruição do programa, disse Veneri, destacando que a agricultura familiar brasileira é a oitava maior produtora de alimentos do mundo, segundo levantamentos do governo federal.

    Desde a operação Agro-fantasma, os investimentos públicos na agricultura familiar foram sendo reduzidos drasticamente e o PAA foi minguando. Em 2012, no Paraná, eram cerca de oito mil agricultores envolvidos no PAA com uma produção de 16, 2 toneladas de produtos agrícolas e pecuários. Em 2017, o número de agricultores caiu para pouco mais de seiscentos e a produção despencou para 1,4 toneladas.

    Pouco antes das prisões, o Canadá e a União Europeia fizeram uma reclamação contra o Brasil por subsídio à agricultura familiar. As grandes empresas não se encaixam no programa que é destinado a atender escolas, presídios, asilos, hospitais, creches e outras instituições públicas. A operação colocou o programa sob suspeita generalizada e prejudicou milhares de pessoas carentes, entre produtores e a população atendida, criticou Veneri.

    Clique para ver os números do PAA no Paraná: