Notícias

  • Fechamento da Fafen é uma tragédia para o nosso Estado

    Fechamento da Fafen é uma tragédia para o nosso Estado
    Divulgação Sindiquímica

    A demissão coletiva de mais de mil trabalhadores é uma tragédia não apenas para aqueles que perdem o emprego e o sustento de suas famílias, mas também para a sociedade paranaense com o anúncio feito pela Petrobras do fechamento da fábica da Araucária Nitrogenados (Ansa/Fafen-PR), em Araucária. O deputado estadual Tadeu Veneri esteve reunido com os trabalhadores e familiares na sexta-feira, dia 25, quando manifestou sua solidariedade ao movimento dos petroquímicos que realizaram assembleia em frente à fábrica aprovando o início da greve geral da categoria para o próximo dia 1º de fevereiro.

    A direção do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Petroquímicas do Estado do Paraná (Sindiquímica), que representa os trabalhadores, denunciou o descumprimento da cláusula 26 do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que proíbe a demissão coletiva negociação prévia com o sindicato. O processo de demissões está previsto para iniciar em 14 de fevereiro, com duração de três meses. Estão na lista, 396 funcionários diretos da companhia e 600 terceirizados.

    O Sindicato tentará reverter a medida junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Tribunal Superior do Trabalho (TST). O município de Araucária o Estado do Paraná deixaram de arrecadar cerca de R$ 50 milhões em impostos com a desativação da unidade. “ A medida afeta a todos os paranaenses. E nós estamos há muito tempo denunciando esse desmonte da Petrobras e as ameaças à soberania nacional”, disse Veneri.

    De acordo com dados divulgados pelo Sindiquímica, ao fechar a fábrica, o país terá que importar a totalidade dos fertilizantes nitrogenados. “Já sabemos que as multinacionais é que serão beneficiadas”, afirmou o deputado.